POLIMENTO

O polimento é uma técnica mais antiga e conhecida dos motoristas. Ela é perfeita para quem está com manchas na pintura, riscos pouco profundos, queimaduras de sol, manchas de dejetos de pássaros, carros repintados ou que não possuem mais o brilho de antes.

O método é realizado com uma massa abrasiva e politrizes em alto número de rotações. Em alguns casos, até uma lixa d’água fina é usada para retirar aquelas manchas e sujeiras mais difíceis, mas isso pode retirar um pouco do verniz da tinta. Veículos com tonalidades mais escuras como preto, azul marinho, marrom e chumbo merecem mais atenção, pois podem revelar mais facilmente um trabalho inadequado.

O procedimento é muito eficiente e deixa a pintura com cara de nova, mas deve ser feito com moderação. A técnica de usar o conjunto de politriz e produtos abrasivos deve ser feita minuciosamente, e especialistas recomendam que seja executada apenas três vezes no máximo durante a vida útil do carro.

Em resumo: o polimento é muito bom, mas deve ser feito quando o carro estiver realmente precisando.

 

CRISTALIZAÇÃO

A cristalização, também conhecida como espelhamento, está ganhando mais espaço nos últimos anos. Ela consiste na aplicação de uma espécie de resina, que forma uma camada de proteção sobre a pintura do carro. Os produtos usados, assim como a cera, não reagem com o verniz da lataria, ou seja, não existem grandes riscos de danificar a tinta. Em contrapartida, também não é possível remover arranhões ou problemas de continuidade.

Sua principal função é realmente conferir maior durabilidade para a tinta do automóvel e realçar a sua beleza, além de ter uma função preventiva e ajudar a evitar que pequenas agressões atinjam a coloração original do veículo.

A cristalização não traz nenhum tipo de dano ou risco para o automóvel e é perfeitamente possível fazê-la com mais frequência que o polimento, sempre que o proprietário julgar necessário dar um embelezamento ao seu carro.